TAP Portugal  
 
 
 
 

História TAP

     
 

Uma História na rota do futuro

1945 - 1949

A TAP – ou mais especificamente, a Secção de Transportes Aéreos – é criada a 14 de março de 1945 pela mão de Humberto Delgado, à data director do Secretariado da Aeronáutica Civil. É neste ano que são adquiridos os primeiros aviões – dois aviões DC-3 Dakota com capacidade para 21 passageiros. No ano seguinte, são criadas definitivamente as condições necessárias para a companhia começar a operar, através da realização do Curso Geral de Pilotos. São, então, inauguradas as duas primeiras linhas aéreas: a primeira linha comercial Lisboa-Madrid abre a 19 de setembro de 1946. Mais tarde, a 31 de dezembro, é inaugurada a “Linha Aérea Imperial” que serve a rota Lisboa-Luanda-Lourenço Marques que contaria com 12 escalas, cerca de 15 dias de duração (ida e volta) e 24540 quilómetros de extensão. Até ao termo da década de 40, outras rotas são criadas: Paris (1948), Londres (1949) e Sevilha (1948).

1950 - 1959

Em 1952 entra-se definitivamente na era do jacto: em maio deste ano, a British Overseas Airways Corporation (BOAC) abre o primeiro serviço regular de aviões a jacto, voando cerca de 11 mil quilómetros entre Londres e Joanesburgo em menos de 24 horas e encurtando a viagem, até aqui realizada por aviões a hélice, para metade do tempo anterior. Ainda em 1952 inicia-se a produção do Boeing 707. 

No ano posterior – 1953 – a TAP conhece pela primeira vez o significado de “privatização”, passando de um serviço público a uma sociedade anónima de responsabilidade limitada (SARL). Na mesma altura, surgem dois novos destinos TAP: Casablanca e Tânger.

Em 1955 chega a Lisboa o primeiro quadrimotor, uma aeronave impulsionada por quatro motores fixados nas asas, destinado ao longo curso da TAP que, em novembro, começa a operar na linha de África; no mesmo ano realiza-se a viagem experimental ao Rio de Janeiro, com a participação do Almirante Gago Coutinho.

O ano de 1958, apesar de ser palco da demissão de Humberto Delgado, esboça-se como um ano de recordes para a TAP: pela primeira vez, a companhia ultrapassa um milhar de trabalhadores (1009), estende-se por uma rede de mais de 14 mil quilómetros, possui cerca de 10 mil horas voadas e mais de 64 mil passageiros transportados.

1960 - 1969

No início desta década, a TAP realiza o primeiro voo entre Lisboa e Porto Santo (1960), inaugura o Voo da Amizade, entre Lisboa e o Rio de Janeiro, com tarifas a menos de metade do preço normal da época, bem como a ligação Lisboa-Goa com uma duração total de 19 horas e cinco escalas intermédias. É nesta altura – em julho de 1962 – que a TAP entra definitivamente na era do jacto com o Caravelle VI-R e neste mesmo ano inicia as ligações de Lisboa para Las Palmas e Santa Maria. Um ano depois (1963) consolida as suas rotas para Genebra, Munique e Frankfurt. Em 1964 viria a ser inaugurado o aeroporto de Santa Catarina, no Funchal, bem como a linha Lisboa-Funchal, a par da operação regular Lisboa-Sal-Bissau. O ano de 1964 fica igualmente marcado pelo facto de a TAP atingir o primeiro milhão de passageiros.

1970 - 1979

Nos anos 70, a companhia recebe a Medalha de Ouro de Mérito Turístico, inclui Boston na linha de Nova Iorque e inicia a operação com aviões a jacto na linha Lisboa-Lourenço Marques-Lisboa. É neste período também que os serviços da TAP se vêem obrigados a ser transferidos para novas instalações, no aeroporto de Lisboa. Ao mesmo tempo, é criada a linha de Montreal e as ligações de Lisboa para Ponta Delgada e Terceira e as transformações ao nível dos serviços não cessam: em 1972 a TAP recebe o primeiro dos quatro Boeing 747-200. A TAP chega ao ano da revolução do 25 de abril a operar com 32 aviões tecnologicamente avançados para mais de 40 destinos em quatro continentes, inicia o serviço computadorizado de reservas, de load-control  e check-in  (TAPMATIC) e torna-se a primeira companhia europeia a executar as grandes revisões completas dos reactores dos B747. O ano de 1974 termina com mais de 1.5 milhões de passageiros transportados, 68 210 horas voadas, quase 103 mil quilómetros de rede e ultrapassa os nove mil trabalhadores.

No ano seguinte à Revolução de Abril, a companhia é arrastada na vaga de nacionalizações e transforma-se numa empresa pública. No final da década, em 1979, é implementado um programa de modernização da empresa e esta altera a sua designação para TAP Air Portugal.

1980 - 1989

O ano de 1980 coincide com a introdução de uma nova imagem na transportadora nacional: uniforme, logótipo e pintura de aviões. Outras inovações têm, igualmente, lugar, nomeadamente o lançamento da revista de bordo Atlantis, a criação da Executive Class e a inauguração de um novo terminal de carga no Aeroporto de Lisboa. Ainda neste ano, é prolongada a linha de Milão para Roma, é aberta a linha Lisboa-Barcelona e a TAP assina o primeiro protocolo com a Iberia. Em meados da década de 80 é inaugurada a loja de vendas no Aeroporto de Lisboa e, pela primeira vez, a TAP Air Portugal transporta mais de dois milhões de passageiros num ano de operação. No decorrer de 1985 é criada a linha Porto-Caracas e o museu da companhia abre as portas ao público. Na reta final da década de 80 a TAP introduz um sistema automático de cálculo de tarifas e emissão de bilhetes e torna-se a primeira companhia aérea a estabelecer ligações terra-ar via satélite.

1990 - 1999

A década de 1990 é a década do Boeing, o primeiro jato comercial totalmente desenhado digitalmente e pela primeira vez na sua história, a TAP transporta num só ano mais de três milhões de passageiros. Nesta altura, iniciam-se os voos do Porto para Barcelona e Basileia e é reaberta a linha de Salvador da Baía. No decorrer dos anos 90, a TAP segue a par com a modernização do País e entra na era Airbus, consolidando uma frota de aviões mais económicos e versáteis. Até ao final desta década é atribuído à TAP o prémio PTA – Portugal Turismo e Atualidade, pela revista Gente e Viagens, é criado o website da companhia (1996), o escritor português José Saramago comemora a receção do seu prémio Nobel da Literatura a bordo de um avião da TAP.

Com a entrada no novo milénio, a TAP regista o transporte de mais de 5 milhões de passageiros (em 2004, este número já ascenderia aos 6,5 milhões) e vê a sua unidade de Manutenção e Engenharia ser certificada pela Autoridade de Aviação Civil Brasileira e pela Federal Aviation Administration (FAA) norte-americana.

2000 - 2009      

A década de 2000 afirma-se como o período de maior recuperação da TAP e, pela primeira vez em vários anos, a companhia obtém lucros de alguns milhões de euros. A par deste facto, a frota da TAP aumenta para 40 aviões e, a 1 de fevereiro de 2005 é apresentado no Hangar 6, a “catedral” da TAP, a nova imagem que integra um novo logótipo, o quinto desde que a TAP foi fundada em 1945 e a nova designação “TAP Portugal”. A nova imagem pretende traduzir graficamente modernidade, leveza e portugalidade e reforçar o nome da TAP que tanto os portugueses como os trabalhadores sempre preferiram. É o início de um novo ciclo.

Ainda neste ano, a companhia aérea portuguesa acumula prémios a nível nacional e internacional em diversas áreas e chega mesmo a tornar-se um case-study em Harvard, ao mesmo tempo que vê contemplada a sua entrada na Star Alliance.

2006 foi o ano de consolidação de diversos acordos comerciais, bem como prémios para a companhia aérea nacional: a TAP assume o controlo da VEM (Varig Manutenção & Engenharia), o maior Centro de Manutenção da América do Sul, é atingido o número recorde de 47 frequências semanais diretas para o Brasil, o Programa Victoria, para o Passageiro Frequente da TAP, é premiado pelos Freddie Awards como o melhor do ano e a nova imagem da empresa distinguida com o prémio Melhor Branding e Re-Branding.

Ao longo dos anos posteriores, a TAP Portugal continua a ser distinguida com inúmeros prémios em diversas categorias: entre 2007 e 2009, é considerada a décima Companhia Aérea mais segura do mundo e “Melhor Companhia Aérea” pelo quarto ano consecutivo, ao mesmo tempo que a Star Alliance – da qual a TAP é membro integrante – é eleita a Melhor Aliança de Companhias Aéreas pela terceira vez consecutiva. Em 2008, os prémios continuam a integrar a História da companhia e, a 1 de agosto, a TAP atinge o recorde de 33.464 passageiros transportados num só dia. À parte de todos estes galardões, a companhia foi sendo distinguida com inúmeros prémios no âmbito da eficiência energética e ambiental, entre os quais o Prémio “Planeta Terra”, atribuído pela UNESCO, reconhecendo desta forma o Programa de Compensação de Emissões de Co2.

2010 - 2014

Mais informação aqui.